6 de abril de 2010

Doação de sangue


Olá Pessoal!

Pouca gente sabe mas os animais também precisam de doação de sangue e pode ser doadores.
Confiram este texto bem explicativo publicado no site da FMVZ e ajudem a espalhar informação e conhecimento!

por Fabio Britto

Jornal da Tarde, 14/03/2010


Se conseguir doadores de sangue já é um dilema para os humanos, no mundo animal é ainda pior. A maioria desconhece, mas os cães e os gatos precisam de transfusão de sangue, principalmente quando são submetidos a grandes cirurgias. O problema é que há pouca informação e por isso quase não há voluntários.


O empresário Carlos Roberto da Silva sentiu de perto o problema. Sua boxer de 6 anos, a Shera, passou mal há dois meses e foi diagnosticada com linfoma. “Ela não comia e vomitava muito. Infelizmente, tive pessoas da família com o mesmo problema e achava que poderia ser mesmo câncer, o que foi confirmado após uma cirurgia.”

Para o empresário, além do câncer foi preciso lutar contra a ignorância. “Ela precisava fazer uma transfusão e eu fiquei até surpreso que amigos e familiares, que tinham animais, se recusaram a submeter o cão à doação. Por não conhecer o procedimento, eles temiam que algo de errado acontecesse com o seu bicho. Por isso, tivemos de comprar três bolsas de plasma. Pensei até em fazer um blog para falar sobre essa falta de solidariedade. Por ignorância, você pode perder um amigo.”

Segundo o médico veterinário Marcelo Quinzani, diretor clínico do Hospital Veterinário Pet Care, em hospitais há uma incidência grande de transfusões. “Além do tratamento auxiliar no combate ao câncer, o procedimento é utilizado em acidentes com hemorragias e rompimento de órgãos; e também em casos de doenças sanguíneas, como a erlichiose (transmitida pelo carrapato). O problema é que há poucos voluntários e isso obriga clínicas terem animais para esse fim, ou mesmo fazer parcerias com canis”, conta o veterinário.


Para incentivar as doações, muitas clínicas oferecem exames gratuitos, como hemogramas e testes contra doenças infectocontagiosas. A professora do curso de medicina veterinária da USP Denise Fantoni, responsável pelo banco de sangue da universidade, acredita que poucas pessoas tenham consciência do problema. “O que vemos é que o brasileiro não é tão legal assim. As pessoas não pensam no lado social, que vão pegar o cão dela e dar o sangue para salvar outro”.


O Banco de Sangue da USP existe há cinco anos e sobrevive graças a parcerias com canis e cadastro de alguns voluntários. Qualquer cão sadio, com peso acima de 27 quilos pode fazer a doação. A USP faz exames grátis de doenças infectocontagiosas e tipagem sanguínea antes de fazer a transfusão - os cães têm mais de sete tipos de sangue. Por mês, segundo a médica, são utilizadas mais de 20 bolsas de 450 ml. A coleta é segura, deve ter intervalo mínimo de um mês, e pode ajudar até quatro animais - de cada bolsa é separado plaquetas, plasma, hemácia e o precipitado (fração do plasma).


Locais para doar sangue


Banco de Sangue da Universidade de São Paulo:

oferece consulta e exames para diagnosticar doenças infectocontagiosas
3091-1300

Pet Center Marginal:

os doadores animais ganham uma avaliação física e um exame de sangue (hemograma)
2797-7400

Hospital Veterinário PetCare: os doadores ganham exames de sangue (hemograma)
3743- 2142

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário